Desciclopédia:Como ser engraçado e não apenas idiota

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Atalho: DP:CSENAI

Na Desciclopédia, são criados aproximadamente 3.985,5 artigos novos por dia.

Dos 3.985,5, cerca de 3.985,31/3 deles são assassinados por terroristas xiitas antes de terem seu primeiro dia minuto de vida.

Siga os conselhos abaixo. Pelo bem da humanidade.

Desciclopedia.png
E
s
s
e
n
c
i
a
l
Manual do Desciclopediano
Os dez mandamentos
Como ser engraçado
e não apenas idiota
Regras
B
á
s
i
c
o
Introdução
Sobre o site
Página de testes
Adicionar links internos e externos
Separar artigos em seções
Utilizar HTML
Adicionar imagens e vídeos
Adicionar sons
Escrever citações
Wikificação
Criar um artigo
I
n
t
e
r
m
e
d
i
á
r
i
o
Convenção de títulos
Criar tabelas
Mover páginas
Adicionar/criar categorias
Adicionar uma predefinição
Criar uma predefinição
S
o
c
i
a
l
Páginas de discussão
Arquivamento de discussão
Página de usuário
Personalizar assinatura
Criando o seu status
Conheça os fóruns
G
e
r
a
l
Solução de problemas
Guia Prático da Wikipedia
Fórmulas Matemáticas
Outros

Cquote1.png Isto non ecziste!!! Cquote2.png
Artigos idiotas em geral costumam a usar bordões do Padre Quevedo para encher lingüiça...
Cquote1.png ... Cquote2.png
Artigos idiotas em geral costumam a usar bordões do Doutor Roberto para encher lingüiça...
Cquote1.png Eu sou Deus! Cquote2.png
Artigos idiotas em geral costumam a usar bordões do Chuck Norris para encher lingüiça...
Cquote1.png Eu sou engraçado. Cquote2.png
Artigos idiotas em geral costumam a usar bordões do Oscar Wilde para encher lingüiça...

Finalmente, o grande, esperado, aguardado, amado, idolatrado, salve-salve Como Ser Engraçado e Não Apenas Idiota. Ou CSEENAI. Ou mesmo CSENAI. Ou ainda CoSENAI, que é uma sigla que dá pra ser pronunciada.

Cosenai, beleza? Beleza.

Enfim.

Introdução

O humor não é uma coisa tão fácil como você pode pensar. Para você ser engraçado, tem que construir algo com nexo sem se achar engraçado, sem ser desvirtuado ou abobalhado e muito menos sem fugir do assunto, pois mostra total desconhecimento das características humanas do riso. É muito mais difícil fazer rir do que fazer chorar, por exemplo, ou é muito mais fácil parecer um idiota do que ser engraçado. Agora, existe uma coisa que é infinitamente mais fácil que fazer rir: tentar fazer rir. Só por que algo está classificado como humor não significa que seja engraçado. Quer um exemplo? O artigo Agnaldo Rayol. Seu conteúdo era o seguinte:

Um viado que pensa que é autor mais na verdade é um cantor country dos anos 60.

Engraçado? Não. Nem um pouco. Esse artigo é um exemplo perfeito do que não fazer, então, não o imite. Lembre-se de que a linha que separa o melhor humor e a completa babaquice é tênue, separada às vezes apenas, por uma vírgula no lugar certo.

Características

Se você não seguir isso, vai ganhar essa imagem!

Seja criativo

Aborde assuntos do cotidiano de forma sutilmente irônica e sem comentários pessoais, reflita sobre cada ato humano ou da própria natureza. Tenha e aceite a liberdade, ela é essencial no trabalho em equipe e na múltipla convivência de fatores socio-político-ambientais que alteram a ordem comum de fatos como a sociologia de Karl Marx (sim, ele expôs a lei de Darwin) e o fato de Hegel se exilar como todo ser que se sente oprimido pelos semelhantes e traz à tona projetos universais como a vontade de ser e não poder, a limitação sofrida pelo próprio desenvolvimento cerebral e a nata de intelectuais, filósofos e pensadores da idade média do século XIII). Esse final foi um exemplo de engraçado ou de idiota, pense no que pensou e baseie-se no raciocínio se achou interessante ou caia fora da Desciclopédia se não gostou, porque é algo absolutamente fantástico!

Não use clichês!

Evite inserir nos artigos personagens clichês típicos do site. Eles são tão engraçados hoje em dia quanto o Zorra Total. Quantas vezes você já não viu citações ou trechos da Dercy xingando tudo e todos ou o Chuck matando Hitler, emos e o Capitão Nascimento? Qual a graça delas depois de ver a mesma coisa pela quinta, décima, centésima vez? Os clichês podem estragar um artigo.

Escreva como gente

Este é um esboço feito na preguiça.

A Desciclopédia não é Facebook ou Twitter, para você ficar fazendo piadinhas utilizando dialetos internetês ou da puta que pariu. Recomendamos que utilize a língua portuguesa em seus artigos.

Um parágrafo sem pontuações, acentuações, cheio de abreviações toscas é COMPLETAMENTE IDIOTA, só gurias retardadas tem a capacidade de rir de uma frase como "Agnaldo Raiol eh un viado q pensa q eh autor mais na vdd é um canto cautri dus anos 60. kkkkk".

Trabalhe em cima da ideia

Você conhece uma personalidade idiota, assiste um programa de TV bacana, lê as revistas de um super-herói famoso, ou mora numa cidade de bosta. Um belo dia, você resolve escrever um artigo da Desciclopédia em cima disso. Legal, né? Não necessariamente: você pode não ter o que escrever.

Se você não tiver nada de bom pra falar, não fale. Ou seja, se tudo o que você tem pra dizer sobre o Agnaldo Rayol cabe em uma linha, não crie esse artigo. Textos de uma linha em nada acrescentam à Desciclopédia. Agora, se você tem mais coisa pra falar, vá em frente. Escreva.

Veja bem, não estamos pedindo para você reescrever Os Lusíadas. Apenas pense um pouco antes de escrever. Gaste cinco minutos ao invés de cinco segundos. Quer um exemplo? Compare o artigo do Agnaldo Rayol com o da Joana d’Arc por exemplo. Qual é mais engraçado? Em qual dos dois você disse "ahuahauhaua"?

Não exponha o óbvio

Sim, nós sabemos que a água é molhada. Da mesma forma, o autor sabe (ou acha, não importa) que o Agnaldo Rayol é uma biba country. Mas isso não é engraçado! Da mesma forma, os autores do artigo sobre os otakus poderiam ter dito "otakus são bichas de treze anos", mas isso não seria engraçado. Ao invés disso, preferiram escrever um artigo elaborado, fugindo dos clichês.

Pelamordedeus, os que têm senso de humor, mas têm pena de mentes confusas: não expliquem tanto, isso tira a graça! Explicadismo secapiada. Como se pode ver por este próprio comentário: "Entendam, explicar a graça alheia, dizer 'olha, ele ironiza isso e aquilo', 'olha, a intenção sarcástica é essa', não tem absolutamente NENHUMA GRAÇA"!

Vamos fazer mais uma analogia... O artigo Narrador da Sessão da Tarde é como se fosse um episódio do Monty Python ou um quadro do Casseta e Planeta de 1992. O artigo do Agnaldo Rayol é como se alguém tivesse grudado um papel escrito "me chute" nas costas do nerd da classe. Não fiquem batendo na mesma tecla. Entenderam?

Não fique só na escatologia

Cquote1.png Não fala palavrão, senão Deus te fode Cquote2.png
Anônimo

Tire o "cu" e a "buceta" da boca, mal-criado(a)!!

Os palavrões: O que há de tão engraçado neles? Se você acha que enfiar um "merda" ou "buceta" aleatoriamente no meio do artigo o torna mais engraçado, desista. Mesma coisa com referências a cocô, porra e punheta, caralho, etc.

Ninguém está pedindo pra você não falar palavrão. Apenas use com moderação. Use-os apenas quando necessário. Não seja um filho da puta. Isso é humor. Encher um artigo com palavrões parece golpe de desesperado. É como o palhaço que, com medo de que as crianças não riam das piadas, de repente bota o pau pra fora. É ridículo, é histérico. É idiota e não é engraçado.

Se possível, use a forma culta da língua. Dá um tom de seriedade que torna o artigo mais engraçado. E se possível, quando contar alguma história, use uma expressão fácil mas séria, para dar ênfase àquilo que está sendo dito. O uso correto de tabelas e infoboxes também contribuem para enriquecer o artigo.

Uso de imagens

Tente colocar imagens que tenham alguma graça em si, não apenas para preencher o espaço vazio do artigo, e claro, capriche nas legendas. Embora colocar imagens num artigo o deixe muito mais interessante, nada de exageros. Em média uma ou duas imagens por seções, portanto a boa quantidade de imagens sempre depende do tamanho do artigo. Excesso de imagens estraga o layout da página e pode fazer o artigo perder toda a graça, já a falta delas deixam o artigo vazio.

Humor privado

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Regra:Humor Privado

Se você é um daqueles retardados que utilizam humor privado e não aprende, vamos te ensinar pela enésima vez que: NÃO SE DEVE USAR HUMOR PRIVADO, entendeu?

  • Exemplo: "Quando voltei para casa, eu vi Joãozinho e disse - vai estudar química?"

Isso não tem graça, precisa de uma história para entender a piada e você vai ficar rindo que nem um otário que é, mas ninguém mais vai rir. Portanto, falar da sua amiguinha que tira tatu do nariz e depois enfia na bunda, ou do seu priminho que enfiou o tico em um formigueiro. Tá, talvez tenha, mas não faça!

A Desciclopédia é um site de humor

Humor, entendeu? Não queremos sua opinião séria. Ninguém aqui se importa com a sua opinião sobre o Lulalá ou sobre o Luladrão. Ninguém aqui tem saco pra discutir se o Campeão Brasileiro de 1987 foi o Flamengo ou o Sport. Não queremos ouvir sua ideia panfletária a favor da Heloísa Helena ou sobre como a Rede Globo manipula as mentes das pessoas. Caso esteja com estresse e precise escrever uma crítica social foda por achar que os outros são menos esclarecidos, faça o favor de ir tomar um chazinho antes de voltar à Desciclopédia. Quer dizer: nada de politicagem.

Por causa disso, lembre-se de que nem todo mundo ri das mesmas coisas que você ri. Pense duas vezes antes de editar um artigo. Pergunte-se a si mesmo: "isso tem realmente graça? As pessoas que lerem esse artigo rirão com o que eu escrevi?"

Queremos fazer as pessoas rirem. Ponto. Aqui não é a Casa da Mãe Joana pra você ficar colocando textos sérios e sem graça.

Ver também